quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

o Parto (post longo e susceptivel de chocar algumas pessoas)

não quero recordar, mas também não quero esquecer....
já ando a relativizar...


no dia 26 dei entrada no hospital pelas 9h da manhã, conforme combinado com o médico.
após todos os procedimentos de internamento, eram 10h30 (+ou-) quando me começaram a administrar a oxitocina.
ás 11h e pouco começo a sentir contrações dolorosas.
muito dolorosas.
a enfermeira veio ver-me e disse para avisar quando começassem as contrações dolorosas.
quando lhe respondo que já estou com contrações dolorosas fica muito admirada, que não pode ser que o registo nem sequer está a acusar contrações.
consertou-me as fitas e lá apareceram as ditas cujas no registo.
por volta do meio-dia sou examinada (toque) e já estava com 4-5 dedos de dilatação.
mandaram-me chamar o marido, que vou passar para a outra sala onde ele já pode entrar.
mas ele que coma primeiro, disseram, que ainda tem tempo!!
e desligaram a oxitocina, que a voltavam a ligar na outra sala, mas que não valia a pena eu estar a sofrer até chegar o marido e/ou a anestesista.
ao 12h20 chego finalmente á outra sala, e novo exame...
já com 6-7 dedos de dilatação, chamo novamente o pai Pipoca, que talvez já nem dê tempo para levar Epidural...
e não voltam a ligar a oxitocina.

viro-me peremptoriamente para a parteira e digo que quero drogas... as contrações já eram insuportaveis...

a rir, porque nunca tinham ouvido ninguem dizer que queria drogas (só eu para me sair com tamanho disparate, claro!!) mandaram chamar a anestesista para vir rápido senão não valia a pena!

o pai Pipoca chega ao mesmo tempo que a anestesista (quase 13h). a anestesista na converseta e eu com dores... só depois de me dar a abençoada é que reclama, mas se a senhora está só com 5 dedos e já tá assim???
responde-lhe logo a outra enfermeira que não, que eu já tava com 7, estava com 5 quando a chamaram, mas que já tava a evoluir depressa.

ás 13h entra o pai, e diz-me a anestesista para me virar dali por 15 minutos...

ao fim de 15 minutos, ainda a sentir as contrações de um lado (o direito, claro!!!) viro-me e sinto...
bem aquilo não foi o sentir o puxo que me recordava do parto da Sara..
aquilo foi...
sentir literalmente a Raquel a descer o canal, sentir com todas as moléculas a miúda a chegar-se á porta de saída.
eu não tinha vontade de fazer força...
eu não conseguia PARAR de fazer força!!!
foi uma sensação surreal e foi aqui que me assustei.
foi aqui que começou a correr mal.
porque me assustei.
porque por azar não estava nenhuma enfermeira por perto.
porque gritei que nem uma parva para o pai Pipoca chamar alguem, que a miuda ía nascer ali, na maca sem ninguem para ajudar.
e fiz força ao contrario.
com todas as moléculas que consegui controlar fiz força para a miuda Não sair.
e foi aqui que errei.
as enfermeiras lá vieram a correr, que já se via a cabecinha, rápido para a sala de partos, mude de cama.
agora agarre os ferros e faça força.

mas eu não consegui :(
foi aqui que falhei.
ao primeiro puxo (na sala de partos) em vez de fazer força para a miuda sair, encolhi-me.
mas encolhi-me mesmo toda.
entretanto, fizeram-me a episiotomia.
á faca.
e gritei..
e reclamei...
e pedi (por acaso até fui educada, ok?) para não me mexerem nas partes intimas (estavam a estimular e eu a subir maca acima).
e ao segundo puxo controlei-me e fiz força...
na direção correcta...
e pufff, temos Raquel.

coserem-me foi outro filme...
o do costume, diria o pai Pipoca.
cosida pela estagiária, senti os pontos todos (apesar de desta vez não ter sentido dor).
e a enfermeira a ensinar a estagiária a coser-me...

-aí não, mais acima, mais abaixo, mais para a direita, mais para a esquerda...
um filme portanto...

mas aí estava a minha princesa pequenina, linda, perfeitinha, pequenininha...
claro que só conseguiram acabar de me coser quando me deram a princesa.
dali mandaram-me para o recobro, onde o pai não podia ficar.
pedi-lhe logo que mandasse trazer a Sara, que ela ainda a podia ver no proprio dia.
tinha a pequena nos braços, já só pensava na grande!

passado uns 10/15 minutos de estar no recobro, vem uma enfermeira para me por a Raquel a mamar. veio tarde, claro, que a miúda já estava alapada a uma maminha =)

passado pouco mais de uma hora, mandaram-me para cima, para o quarto.
e a minha alegria, poder ter o pai ao pé de mim!!
e a Sara que estava quase a chegar, que alegria!!!

o pai ainda esteve ao pé de mim 1 hora antes da Sara chegar, e quando a foi buscar...
não consigo lembrar-me daquele momento sem ficar embargada...
a minha bebé grande crescera tanto desde a noite anterior!!!
as lágrimas vieram-me aos olhos de a ver.
a minha princesa grande.
fiz questão de que ela pegasse logo na irmã ao colo, apesar de todos (menos o pai Pipoca) que estavam lá me dizerem para não o fazer.
ainda hoje, a Sara pega na irmã SEMPRE que quiser.
na sua inocência, a Sara pergunta pela mana.
que se aquela é a Raquel, e a mãe tinha na barriga a mana e a Raquel, onde está a mana??
lá lhe explicamos pela enésima vez, que a Raquel é a mana.
e ficámos ali, a contemplar a nossa princesa mais pequena.

a estadia no hospital foi curta, agradável e proveitosa.
quase dei pulos de alegria quando me disseram que se estivesse bem, podia ir para casa ao fim de 48horas.
oh happy day!!!
lentamente tudo me veio á memória, e as enfermeiras apenas precisaram de me ajudar com o banhito, que dar banho a um recem nascido é muito diferente de dar banho á Sara.
de resto, sempre despachada e desenrascada, até elas ficavam admiradas com a minha recuperação.
no dia 27, a Raquel foi registada, e vacinada.
no dia 28 viemos para casa.
oh happy day.

e hoje já me esforço por esquecer que a minha pequenina esteve quase a sofrer por eu não conseguir fazer força.

6 pipocas:

D. disse...

Olá
No meu parto também aconteceu algo semelhante. A M. estava muito subida e tinha a dilatação completa. Estive a puxar cerca de 1h para ela descer e ela descer, mas quando foi para ela sair não estava a ser capaz de fazer força no sitio certo. Também me senti mto triste mas o importante é que no fim correu tudo bem!!
Parabéns pela bebé!!
Beijinhos

Mami ( Sónia ) disse...

Ainda bem que correu tudo bem. E isso é o que importa não é?
Beijo

betinha disse...

As histórias de partos são sempre assim, dolorosas e complicadas para quem as vive, mas acabam por se relativizar... infelizmente talvez, porque se nós mulheres quisessemos mesmo que o nosso parto fosse tal como queremos,e o reclamassemos como um direito, talvez os hospitais e pessoal médico nos ouvisse sem nos relativizar! ;)

SONHADOR disse...

subscrevo o comentário da Mami.

beijos.

Nathi disse...

Li tudinho e me emocionei!!!
Parabéns pela força e novamente pelo nascimento da Pipoca pequenina.

Beijos***

gaiatA disse...

Mas ela saiu a bem, o mal era se tivesse de ser cesariana, p0r isso, deixa-te de te culpar maria!!

Adoro ler os relat0s de parto :) principalmente quando já se tem uma bebé que imediatamente passa a uma menina crescida ;D